Confira os piores jogos de 2017

Confira os piores jogos de 2017

janeiro 4, 2018 0 Por Denny Novaes

Sem dúvidas, 2017 teve uma lista enorme de jogos maravilhosos (A nossa  Gamertrospectiva 2017 que nós diga).  Porém, isso também não quer dizer que o universo são apenas flores. O que teve de coisa boa, teve de coisa ruim também. Claro, o saldo final foi bem positivo, mas tivemos alguns games bem abaixo do esperado nesse período.

Por conta disso, vamos fazer essa lista para relembrar quais foram os fracassos, decepções e games abaixo da média de 2017. Nem todos são necessariamente aquela bomba que você espera, mas, certamente, não atenderam às expectativas de uma maneira satisfatória. Então vem com a gente conferir a lista!

1 – Sonic Forces

Depois de começar o ano com o pé direito e lançar Sonic Mania, que foi um dos jogos mais incríveis do ano, Sonic Forces parecia promissor. Afinal, parte da equipe trabalhou em outros jogos bons e o game parecia ser uma espécie de sucessor espiritual de Sonic Generations, que foi muito bom. Achou que a SEGA ia acertar, né? Achou errado.

O ano do Sonic ficou só com o Mania mesmo. Level design confuso, controles pouco precisos, seções scriptadas que são tediosas e muito, muito mais. Claro, nem tudo é ruim e há coisas que salvam o game, mas ele passa longe de ser um bom título 3D da série.

Sonic Forces

2 – LEGO Worlds

Mesmo quem não gosta de Minecraft sabe valorizar o potencial do jogo, que oferece uma liberdade bem grande aos jogadores. E se a gente tirasse a temática Minecraft e colocasse LEGO no lugar? Parece resolver os problemas, não? Aparentemente, não. Mesmo substituindo uma coisa pela outra, o game não foi tão divertido e trouxe uma estrutura bem entediante de missões para liberar peças de LEGO especiais.

3 – Need for Speed Payback

A EA tinha a faca e o queijo na mão. Um jogo que mistura Need for Speed The Run, o reboot de 2015 e uma temática bem legal não tinha como dar errado, não? Não subestimem as pessoas (essa poderia ser uma lição de vida). Progressão por microtransações, bugs gráficos, história ruim e por aí vai. Pontos negativos sobraram. Apesar de ter coisas boas, o resultado final de Need for Speed Payback não agradou.

Need for Speed Payback

4 – Perception

Até o momento, parece que só temos jogos promissores que nos decepcionaram, e Perception não é diferente. Dos criadores de Bioshock, o game de terror coloca o jogador no papel de uma protagonista cega que “enxerga” as coisas com ondas de som (como o Demolidor de Ben Affleck). Porém, o método de ecolocalização acaba estragando boa parte da experiência, pois ele é muito mais útil que uma lanterna de games convencionais, e a história do título se provou bem fraca.

5 – Mass Effect Andromeda

Mais uma vez temos um game da EA na lista. Desenvolvido pela Bioware, o novo jogo da franquia poderia finalmente usufruir do poder da nova geração para fazer o que ele já tirava de letra nos consoles mais antigos. Mais uma vez, erramos. Extremamente repetitivo, muitas missões bobas, cheio de bugs, história fraca e, no geral, muito aquém em relação à trilogia original. Há quem odeie, há quem veja pontos positivos e há quem goste, mas, no geral, Mass Effect Andromeda não passou na nota de corte.

6 – Agents of Mayhem

Os criadores de Saints Row atrás de um novo projeto? Parecia no mínimo interessante. Porém, Agents of Mayhem acabou morrendo na praia. Com uma estrutura extremamente repetitiva, muitos bugs e alguns problemas técnicos, o game não supriu a expectativa de trazer uma experiência à altura da série que foi inspirado.

Agents

7 – Star Wars Battlefront II

Assim como o game pode ser uma boa experiência escondida atrás de um sistema de microtransações agressivo, bom… ele ainda está lá e faz parte da jogatina. Trata-se de um modelo que recompensa a sorte de jogadores que tiraram equipamentos melhores nas caixas de recompensas e cria uma jogatina desbalanceada.

Além disso, a campanha, apesar de boa, é bem curta e acaba agradando mais o fanservice do que adicionando ao universo Star Wars. Se o jogo continuará assim, tudo depende da DICE em consertar parte do multiplayer.

Bônus – Life of Black Tiger

Esse game entraria nas menções honrosas, mas ele é tão ruim, mas tão ruim, que merece um texto aqui. Basicamente, Life of Black Tiger é o tipo de jogo que, se fosse analisado, ganharia um 0 sem dó. Gráficos péssimos, problemas absurdos de performance (até no PS4 Pro), jogabilidade travadíssima (se é que dá para chamar de jogabilidade), total falta de história e tudo que você imaginar de ruim.

Talvez o ponto positivo do game é que ele… roda? Não sei, é tão ruim que, provavelmente, não há pontos positivos. Por mais incrível que pareça, esse jogo gratuito de Android (que, mesmo assim, ainda não é bom) chegou ao PlayStaion 4 e pasmem: ele é pago, custando US$ 10. Acreditem se quiserem. Deixo o trailer do jogo abaixo para mostrar que não é mentira.

Menções honrosas

Drawn to Death

Drawn

Has-Been Heroes

Has-Been Heroes

Caligula Effect

Caligula Effect

Troll and I

Troll and I

Valkyria Revolution

Valkyria

Essa foi a nossa seleção de piores jogos de 2017 galera. Como sempre, essa lista é relativa e vocês são livres para discordar, concordar e discutir. Vale ressaltar que um game estar selecionado aqui não necessariamente o categoriza como péssimo, mas sim como algo da qualidade que esperamos. E aí, concorda?